Dica do que não fazer no bookstagram

Pedir. Pedir para gostar de fotos. Pedir para seguir. Pedir para partilhar (a não ser que seja por uma boa causa).

Ultimamente o meu Instagram tem sido invadido de mensagens com pedidos deste género, e embora eu admire muito essas pessoas pela sua coragem (também conhecida como lata), eu não acho nada bonito o que fazem.

Eu diria que há dois grandes motivos para uma pessoa se juntar ao bookstagram: as pessoas adoram livros e juntam-se ao bookstagram por lazer, ou, as pessoas adoram livros e juntam-se ao bookstagram porque ambicionam ter uma carreira no mercado. Antes de mais, se não estás no grupo de pessoas que “adoram livros”, que estás a fazer no bookstagram? Depois, eu diria que só aqueles que se juntam ao bookstagram pelo segundo motivo (a carreira no mercado) é que têm um olhar atento às estatísticas do Instagram. E isso é totalmente legítimo! Não vamos agora ser hipócritas e dizer que não queremos saber dos gostos e dos seguidores quando na realidade queremos! Eu penso nisso! Penso nisso e penso em formas de melhorar esses indicadores. O que não faço é pedi-los de mão beijada!

“Podes por gosto nesta foto?” e “adoro o teu Instagram, podes-me seguir?” são exemplos das mensagens que me enviam e eu não sei se o que estou prestes a dizer (escrever) é um choque para alguém, mas este tipo de mensagens não fica nada bem, principalmente quando não conhecem a pessoa de lado nenhum. Dizer a alguém que não conhecemos “adoro o teu Instagram, podes-me seguir?” é uma abreviatura de “tu não me conheces mas eu quero mesmo subir o meu número de seguidores e não sei como por isso podes seguir-me?”. É não é? Nesta versão a coisa fica mais feia mas é a verdade, só que com mais palavras.

Ao fazer isto estão a fazer a coisa ao contrário. O caminho não é pedir à pessoa que te reconheça com um gosto. O caminho é trabalhar até que a pessoa te reconheça. Pedir a uma pessoa que vos siga sem terem trabalhado para isso é o mesmo que pedirem ao vosso carro que ande sem lhe meterem combustível (juro, às vezes acho que tirei um curso de engenharia só para ser dotada desta lógica sarcástica).

O caminho é o trabalho! Já fiz um story template que me deu 200 seguidores; quando faço um giveaway (que é fruto das minhas parcerias com editoras) ganho entre 200 a 300 seguidores; quando fiz o takeover no Instagram da Editorial Presença aumentei 400 seguidores e no dia seguinte tinha um email de uma editora a pedir-me o meu número de telemóvel para discutirmos futuras colaborações (confesso que aqui o timing pode ter sido coincidência).

Querem um outro exemplo de como o trabalho é o caminho para o reconhecimento? Nunca me tinha cruzado com os Instagram da @manganett e @filipab0oks, mas se hoje os conheço não foi porque me enviaram mensagem para as seguir. Foi sim pelo trabalho incrível que elas fizeram com o projeto Mangalipa.

Por favor, se querem mesmo chegar a algum lado nesta comunidade/mercado, trabalhem para isso! Ou pelo menos não me enviem mensagens a pedir para seguir.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s